Concurso Polícia Rodoviária Federal (PRF)

Grandes são as expectativas para um novo concurso! A PRF desempenha um papel importantíssimo no combate ao tráfico de drogas e contrabando e é a instituição responsável pelo patrulhamento ostensivo das rodovias federais. Não é à toa que a instituição esteja ganhando atenção especial do governo federal. Em manifestação, o próprio Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, disse que a PRF é uma das exceções do governo federal e será autorizada pelo Ministério da economia a realizar nova seleção, mesmo no atual período de recessão.

Em 2020, o então diretor geral da corporação, Adriano Furtado, externou o desejo de ter todos os cargos da PRF preenchidos até o final de 2022. E após o último concurso, realizado em 2019, o departamento responsável encaminhou o pedido para um novo concurso com mais de 4 mil vagas. Nos meses decorrentes, Eduardo Aggio assumiu a direção da PRF e junto com essa mudança vieram algumas novidades. Por meio de um decreto, Bolsonaro autorizou a nomeação de 609 candidatos excedentes que ingressaram no curso de formação em julho de 2020.

Dessa forma, o concurso aberto em 2019 poderá ser encerrado possibilitando a realização de um novo certame. A corporação manifesta todo o seu interesse em tal situação uma vez que, após o indeferimento do último pedido, foi rápida em realizar nova solicitação para provimento de 2634 vagas visando a nomeação dos aprovados a partir de janeiro de 2022.

O que esperar do concurso da PRF?

Diferentemente do que vinha sendo praticado nos concursos anteriores, o certame de 2019 ofertou vagas regionalizadas e não federais. Apesar do benefício de o candidato poder escolher sua lotação no momento da inscrição, o edital estabeleceu que todas as etapas do concurso deveriam ser realizadas nos locais escolhidos para lotação. Tal regramento gerou polêmica e até mesmo suspensão temporária do certame, pois a dinâmica oneraria custos elevados a qualquer candidato que optasse por uma localidade distante da sua residência. Ao que tudo indica, o próximo concurso terá essa regra modificada. Além disso, ao analisar os seis concursos realizados pela a instituição desde 2002, percebe-se que somente o ocorrido em 2009 teve banca que não o CESPE/Cebraspe. É razoável prever que essa também seja a banca avaliadora da próxima seleção.

O ingresso na PRF se dá apenas por concurso público e em cargo único: policial rodoviário federal. Para aqueles que almejam essa posição é necessário apresentar diploma de curso superior, em qualquer área de formação, expedido por instituição reconhecida pelo Ministério da Educação. O vencimento básico inicial da carreira é em torno de R$ 10.000,00 acrescidos de alguns benefícios. Além disso, a federação dos policiais rodoviários do Brasil vem propondo a equiparação entre os salários dos PRF’s e dos agentes da polícia federal, em torno de R$ 12.000,00.

O certame de 2019 foi composto por duas etapas, a primeira com seis fases chamadas “iniciais” e a segunda compreendendo o curso de formação profissional. Confira abaixo uma breve explanação sobre cada uma delas.

Prova objetiva e discursiva

Em 2019 a prova foi elaborada com 120 questões objetivas mais prova discursiva e pôde ser resolvida em até 4 horas e 30 minutos. Tal qual é conhecido, o CESPE não facilitou a vida dos candidatos e apresentou as questões como 120 afirmações dando ao candidato somente as opções “certo” ou “errado”; com o detalhe inerente a esse estilo de prova: para cada questão que o candidato errar, um de seus acertos é descontado. O infográfico abaixo mostra quais foram as matérias cobradas em cada bloco, bem como o número de questões de cada assunto:

matérias cobradas concurso PRF

Para estar bem preparado, não se deve desprezar qualquer conteúdo apresentado em edital. Embora cause certo pavor, a maioria dos candidatos à PRF tem a peculiaridade de cobrar conhecimentos em física. Isso se deve ao fato de o Policial Rodoviário Federal participar das perícias de acidentes ocorridos nas estradas federais. Além dessa particularidade, legislação de trânsito é um tema presente e, no último concurso, foi a matéria com o maior número de questões. Conhecimentos em trânsito abrangeram todos os tópicos do CTB (Código de Trânsito Brasileiro), bem como suas resoluções.        

A partir da prova objetiva, o candidato poderá ou não ser classificado para ter sua redação corrigida. A prova dissertativa é mais um dos elementos que requerem bastante atenção dos concorrentes, pois tem peso de 20 pontos, ou seja, muda significativamente a classificação final dos aprovados.

Exame de capacidade física

Famoso em concursos policiais, o TAF (Teste de Aptidão Física) está presente também na seleção da PRF e tem caráter eliminatório. Os concorrentes convocados para exame de capacidade física são submetidos a quatro modalidades de exercícios: teste de flexão em barra fixa, impulsão horizontal, flexão abdominal, corrida de 12 minutos. O desempenho em cada uma delas tem pontuação correspondente e espera-se que o candidato atinja nota mínima para seguir em frente. Se você pretende ingressar nessa instituição, não deixe de incluir em sua rotina o treinamento físico.

Avaliação de saúde

Compreende a quarta fase da primeira etapa e tem por objetivo verificar a existência de doenças ou sinais e sintomas que prejudiquem o aluno durante o curso de formação profissional, assim como evitar incompatibilidades durante o exercício da profissão. Há uma extensa lista de exames e avaliações clínicas que deverão ser apresentadas por aqueles que chegarem até este estágio e é preciso ter atenção ao edital para que nenhum dos itens exigidos fiquem para trás, já que essa fase também é eliminatória.

Avaliação psicológica

Todos os aprovados na fase de avaliação de saúde serão convocados para avaliação psicológica. Conforme edital de 2019 “Considera-se avaliação psicológica o processo realizado mediante o emprego de um conjunto de procedimentos científicos destinados a aferir a compatibilidade das características psicológicas do candidato com as atribuições do cargo”. Tal fase consiste na avaliação da competência psicológica relativa ao exercício da função de Policial Rodoviário Federal e por isso tem caráter eliminatório.

Avaliação de títulos

Diferentemente das etapas anteriores, a avaliação de títulos tem caráter exclusivamente classificatório e poderá ajudar os concorrentes que tiverem exercido atividade de natureza policial ou possuírem diploma em cursos de pós graduação, mestrado ou doutorado.

Investigação social

Nessa fase o candidato terá seu comportamento social e honestidade avaliados pela PRF. A instituição tem como objetivo averiguar se o perfil social do candidato é compatível com o cargo e leva a questão tão a sério que realiza esse procedimento durante todo o concurso público, desde a inscrição até a nomeação.

Curso de formação profissional

Depois de triunfar sobre as fases anteriores, o candidato está apto à convocação para a matrícula no curso de formação profissional (CFP). Com duração de aproximadamente três meses, o CFP prepara os futuros PRF’s para o exercício da profissão e tem caráter eliminatório e classificatório com pontuação máxima de 5 pontos na nota final do concurso.